quinta-feira, janeiro 15, 2009

Suco de manga


Sempre tivera aquele carocinho de manga
Envolvido no sabor da fruta
E jogava, chutava, apodrecia
Por ai

O quintal foi apequenando
E as mangas, ficavam por ai.
Pros outros tao mais
Que nada pra mim

Ate que o tufao derrubou a mangueira
Fome senti. E muita.
Que falta a manga
Morto me fez

Se eu tivesse a guardado
Bem aqui comigo.
Feito suco
Saboreado

Mas fui pra onde nao tem arvore
Fui pra onde nao tem quintal
E assim se faz a falta

Era um jogo mal jogado
Era uma mania chata de dar esporro
Era uma coisa incomoda, o sol.
Mas era.

Mesmo quando ruim, era.
E agora, pior, sem.
Tao triste.

O jogo pessimo.
Hoje nem temos jogo.

O esporro da mae.
Aqui nem tenho mae.

O sol ardente.
Aqui o sol padece resfriado.

E a manga, se tivesse
Seria o suco mais valorizado.

A falta que se faz presente
A todo passo que a vida vai dando pra frente

Siga este blog por e-mail