quarta-feira, julho 05, 2017

ESTAMOS RINDO DE NERVOSO

Temos uma grande predileção pelo espetáculo. É uma constatação tão fácil que nem precisaríamos nos debruçarmos na obra antológica de Guy Debord para tal. Nossas redes, magnéticas, físicas e virtuais, do bar para o grupo no whatsapp, são repletas de graça. Não no sentido estético da palavra. Nem no sentido capitalista da palavra. No sentido debochado mesmo. Tá tudo uma merda (pelo menos para a maioria) e não aceitamos estar por baixo. Seguimos vivendo como um escravo do século XVIII como se, aparentemente, vivêssemos na Noruega do século XXII. Não importa nada além do espetáculo. Masterchef, Big brother, futebol, novela, filme de herói, até os engajamentos da moda. Tudo servindo para o espetáculo. O que há de ruim nisso? Eu mesmo me entretenho com metade disso aí. Só que, rapaz, cadê o equilíbrio?
Acontece um desconforto social, piada. Surge uma grave denúncia contra a democracia, piada. Morte um inocente, piada. A gente não está rindo mais pela graça da coisa. Estamos rindo de nervoso. Atestamos a idiotice. Os motivos são bem claros.
Servidores de várias instâncias não recebem seus salários. Vários direitos estão sendo extintos. A reforma trabalhista está quase na aprovação final. A da previdência idem. Não se repararam mas alguns produtos diminuíram a embalagem é aumentaram os preços. Aprovaram a cobrança diferenciada para cada tipo de pagamento. As ações em São Paulo na "Cracolândia" tratando doentes como animais. Isso sem falar na graça que muita gente achou na tatuagem na testa de um garoto. A vida tá ganha, né? Minha mãe dizia isso quando a gente, lá pelos dez anos caía na gargalhada por qualquer coisa. Tá rindo até de injeção na testa, dizia ela.
Matam direitos, matam possibilidades, matam a dignidade, matam pessoas. E você aí só em busca da nova piada, do novo meme? A gente tá assim mesmo. Estamos rindo até de injeção na testa. Como esse texto não tem graça você não deve compartilhar no seu feed, nem no seu grupo da família do Whatsapp.

Nenhum comentário:

Siga este blog por e-mail