sexta-feira, julho 07, 2017

PERSONAGEM

Navegava pela internet como se alguém ainda usasse o verbo navegar para isso. Foi na época das lan houses abertas em cada esquina. Aprendeu a ser virtual ali. Conheceu gente de Anchieta, Bangu, Magalhães Bastos, Rocinha, Pavuna, Botafogo e por aí vai. Aprendeu a ser menos tímido. Também descobriu oportunidades virtuais. Descobriu a graça. Por isso o navegar. E dizia num tom crítico e romântico: “Em terra que falta energia vai bem um Jazz para jantar a luz de velas”. Como se tivessem inventado o mundo anteontem.

Numa quinta-feira na aula de Embriologia Básica do Curso de Biologia que havia começado recentemente ignorava o que se passava por conteúdo e abraçava a paixão involuntária por literatura. Acontece que já possuía um perfil ativo virtual muito diferente do que era no dia a dia. Raquel, sempre inoportuna, comentou com Honório:

- Mas você coloca frases tão lindas na internet e não faz nem a metade do que escreve.
- É um personagem.
- É o caso, então, de eu preferir o personagem ao ator. Se encontrá-lo, fale de mim - riu bem sarcástica.
- Mas você é aquela Silvia Gomez da internet?
- Sou sim.
- Nada a ver com as fotos. É o caso de eu preferir a modelo das fotos ao invés de você.

Thiago Kuerques

Nenhum comentário:

Siga este blog por e-mail